A Marquesa de O... / O Terramoto no Chile

Heinrich von Kleist

  • €0.00

Em M..., importante cidade da Alta-Itália, a Marquesa de O..., senhora de excelente reputação, viúva, mãe de duas crianças de uma perfeita educação, fez saber pelos jornais que ficara grávida sem seu conhecimento, que o pai da criança que ia dar à luz se devia apresentar e que, por razões de natureza familiar, se encontraria na disposição de casar com ele. 

«Se o romance trabalha sobre a duração, ou seja, sobre um fragmento de tempo mais ou menos extenso envolvendo uma multiplicidade de antes e depois, a "Novelle", ao trabalhar sobre um durante, como que suspendendo o antes e o depois, ganha qualquer coisa do dizer acrónico que é o da poesia e, consequentemente, qualquer coisa da "abertura", do não-completamente-dito, ou mesmo do não-dito (porque não-dizível) que, passe a ousadia da generalização, se inscreve na tecitura profunda da literatura alemã, pelo menos entre o Geniezeit e o Expressionismo.

Ao não-dito chega-se, por exemplo, pelo inaudito. É que o inaudito, se for apenas dito (...), deixa consigo um proliferar (suspenso) de sentidos possíveis, a par de uma ameaça: a da impossibilidade do sentido. De facto, a história do absurdo na literatura alemã far-se-ia em grande parte à custa da história da "Novelle".»

José M. Justo (da Introdução)

  • Título original Die Marquise von O... / Das Erdbeben in Chili
  • Tradução e introdução José M. Justo
  • 1.ª edição 1985
  • Páginas 106
  • ISBN 972-608-026-6

imprensa