Poço de Seda

Antologia Breve (edição bilingue)

Livros Flauta de Luz

*
  • €14.00

O Chile é o país andino que disse não ter índios e que se deu à mentira de ser todo branco. Mas sucede que no Chile estão as terras dos Mapuches, que resistiram ao império dos Incas, logo depois aos Espanhóis e por fim aos prussianos chilenos. Pensamos nestas vertigens quando nos interrogamos sobre o que seja um poeta chileno.

Jorge Leandro Rosa (do prefácio)

Livros Flauta de Luz | distribuição Antígona 

Poço de Seda é a segunda colectânea da poesia de Jesús Sepúlveda publicada em português; a primeira foi editada no Brasil, em 2020.

«A poesia é uma actividade que se prolonga em sucessivos equilíbrios instáveis e em terríveis quedas e ferimentos. Na poesia de Jesús Sepúlveda há períodos de silêncio e suspensão do mundo, de abertura do vazio na linguagem poética, de abeiramento do abismo da morte. Todas essas experiências revivem no poema e tomam o peso do corpo assim eviscerado da sua alma ou da sua forma cultural. [...] Esta poesia nunca oculta os seus movimentos de nutrição; subjaz-lhe uma poética mergulhada na vida orgânica, que dá lugar a erupções na aparente lisura do mundo verbal. [...] Progressivamente, os poemas em Sepúlveda foram-se abrindo à pluralidade surreal dos seres: o universo dos seus interlocutores alarga-se, torna-se inumano, liberto da linguagem e da sua linearidade. [...] A poesia de Sepúlveda, fundada numa recusa do que ele chama a "razão estética", põe à prova a separação entre arte e vida. É um tópico fulcral.» (Jorge Leandro Rosa, do prefácio)

Jesús Sepúlveda (Santiago do Chile, 1967), poeta e ensaísta, encontra-se radicado nos Estados Unidos, onde é professor no Departamento de Línguas Românicas da Universidade do Óregon. Foi colaborador da extinta revista Green Anarchy e continua a escrever na mais antiga revista anarquista dos Estados Unidos, a Fifth Estate. É autor de O Jardim das Peculiaridades, um dos mais influentes textos do anarquismo crítico da civilização industrial, publicado em 2002, em Buenos Aires, e traduzido para diversas línguas, entre elas o português, em Portugal e no Brasil. Apontado como um dos mais notáveis poetas sul-americanos da sua geração, é autor de uma ampla obra, de onde foram extraídos os poemas que compõem esta antologia.

  • SELECÇÃO E TRADUÇÃO Pedro Morais
  • PREFÁCIO Jorge Leandro Rosa
  • PINTURA DA CAPA E DESENHOS Miguel Carneiro
  • GRAFISMO E PAGINAÇÃO Pedro Mota
  • 1.ª EDIÇÃO 2022
  • PÁGINAS 256
  • FORMATO 15 x 21 cm
  • ISBN 978-989-531-782-0


*O preço final inclui 10% de desconto da editora (válido até 31/12/2022)
NÃO APLICÁVEL NOUTRAS CAMPANHAS EM CURSO

Também recomendamos