• €13.50

A beleza será CONVULSIVA ou não será nada.

Nadja (1928), um dos primeiros romances surrealistas, foi considerado pelo autor a sua obra-chave. Fazendo uso de uma assumida fusão de géneros e de uma abundância de fotografias de Man Ray e de Jacques-André Boiffard, André Breton conta a história, misto de sonho e realidade, da breve e tempestuosa relação do narrador com Nadja, uma «alma errante», uma trágica e misteriosa jovem por quem se sente bizarramente fascinado. E é através dos olhos dessa mulher que ele é transportado numa deambulação por Paris e, ao mesmo tempo, numa profunda busca de si mesmo, uma tentativa de resposta à pergunta seminal com que abre a narrativa: «Quem sou?» Esta obra foi revista e reeditada pelo autor em 1963.
  • Tradução Ernesto Sampaio
  • Ilustração da capa Inés Ballesteros
  • 1.ª edição 2019
  • Páginas 184
  • ISBN 978-972-608-352-8


O Amor Louco
14.4 EUR