O Eclipse da Razão

Max Horkheimer

  • €14.40

Agora que a ciência nos ajudou a ultrapassar o medo do desconhecido na natureza, somos escravos de pressões sociais da nossa própria lavra. Quando chamados a agir independentemente, ansiamos por modelos, sistemas e autoridades. Se por iluminismo e progresso intelectual significarmos a libertação do homem das crenças supersticiosas em forças malignas, em demónios e fadas, no destino cego — em suma, a emancipação do medo —, então a denúncia do que hoje se chama razão é o maior serviço que a razão pode prestar.


Tendo por génese um conjunto de palestras dadas na Universidade de Columbia em 1944,O Eclipse da Razão (1947) traça a história da degeneração do conceito de razão na filosofia e na sociedade ocidental. Este fenómeno, que se acentuou desde o Iluminismo, redundou na instrumentalização dessa noção maior em nome de um pragmatismo que é a essência da violência totalitária, reduzindo tudo e todos a meros instrumentos. Na sociedade contemporânea massificada, em que o indivíduo é forçado a adoptar um cínico conformismo, Horkheimer identifica o supremo paradoxo: ao longo da história, a racionalidade e o progresso técnico não significaram a emancipação desejada; redundaram somente na anomia e numa neobarbárie, obliterando o homem.

  • título original Eclipse of Reason
  • tradução João Tiago Proença
  • páginas 206
  • 1.ª edição 2015
  • isbn 978-972-608-261-3

 

imprensa