Pesquisas Sobre a Sexualidade

  • €0.00

BRETON – Um homem e uma mulher fazem amor. Em que medida o homem se pode aperceber do gozo da mulher?

TANGUY – Numa percentagem mínima de casos.
BRETON – Haverá meios objectivos que permitam uma certeza nesta matéria?
TANGUY – Sim.

(não se chega a saber quais)

«À libertinagem, os surrealistas opõem o amor electivo e exclusivo. Resta saber se as duas atitudes não vão no mesmo sentido, por caminhos opostos; se a mulher alcandorada à categoria de eleita única e a que é fodida sem amor não se reúnem no mesmo estatuto de objecto.» [Jules-François Dupuis, História Desenvolta do Surrealismo]

  • tradução Silva de Viseu
  • páginas 56
  • 1.ª edição 1980
  • isbn 972-608-036-3

imprensa