Dany Laferrière

Dany Laferrière (Haiti, n. 1953) é um dos autores mais consagrados e adorados da francofonia - o filho predilecto de Montreal -, com uma obra vasta e muito admirada, a que a imprensa mundial se rendeu.

Começou a sua carreira como jornalista em Port-au-Prince. Num país nas garras do ditador Baby Doc, o exílio tornou-se rapidamente um assunto de família: filho de um exilado político, e na lista negra das milícias, fixou-se no Canadá em 1976, depois do assassínio de Gasner Raymond, seu colega e amigo.

Membro da Academia Francesa desde 2013 - um dos poucos francófonos negros e o primeiro haitiano a integrar esta instituição - e vencedor de um Prémio Médicis, é hoje um dos pilares da francofonia e um dos maiores vultos literários do Quebeque.

Autor de uma obra vasta e muito admirada, conta com inúmeros romances e livros de crónicas, que se repartem entre as suas vivências no Haiti e as experiências na América do Norte, entre os quais Pays sans Chapeau (1996), L’Énigme du Retour (2009) e L’Art presque perdu de ne rien faire (2011). 




← -