Pierre Klossowski

Nascido em Paris, em 1905, partilha a sua infância e adolescência com o seu irmão Balthasar, que iria tornar-se o conceituado pintor Balthus. Também a influência de André Gide, um amigo da família, se fez sentir desde cedo, quando o autor do Imoralistafoi tutor de Pierre no tempo dos seus estudos secundários. Mais tarde, durante a ocupação nazi da França, Klossowski empreende estudos de escolástica e teologia. Estabelece contacto com várias redes da Resistência. De regresso à vida laica, com a vocação suspensa, casa-se em 1947 e publica Sade mon Prochain. Quanto à obra no seu todo, tão hermética quando lúdica, passa por traduções de autores como Virgílio, Hölderlin, Nietzsche, Wittgenstein, Walter Benjamin, Heidegger ou Kafka. Colaborou com André Breton e teve como amigos e admiradores os seus contemporâneos Michel Foucault, Georges Bataille, Maurice Blanchot ou Gilles Deleuze, que contribuíram para fazer sair a sua obra da escuridão a que parecia estar votada.