Já em distribuição | Sanatório sob o Signo da Clepsidra | Bruno Schulz | Edições do Tédio

Edição ricamente ilustrada com desenhos de Ricardo Castro e alguns desenhos originais de Bruno Schulz. Inclui também o ensaio «A Mitificação da Realidade» de Schulz e dois textos críticos sobre a sua obra e desenhos. Cada exemplar é único, uma vez que todas as capas foram impressas manualmente em tipografia.

SANATÓRIO SOB O SIGNO DA CLEPSIDRA apresenta, pela primeira vez em Portugal, uma tradução da obra de Bruno Schulz directamente da língua polaca. Publicada originalmente em 1937, a obra reúne 13 contos onde se recriam os episódios de um quotidiano muito peculiar numa cidade pequena, que bem poderá ser Drohobycz, cidade onde Schulz nasceu e viveu. O imaginário delirante da prosa, envolta numa aura fantástica, entretece com virtuosidade o enredo privado de uma adolescência mitológica, a do jovem Joséf (alter-ego de Schulz), com arquétipos universais fortemente imagéticos e a narrativa histórica e geopolítica do fim de um império. Dotado de uma delicadeza feroz e de uma nostalgia iridescente, SANATÓRIO SOB O SIGNO DA CLEPSIDRA revela-se um tratado poético sobre os mecanismos da recordação, que aguça os sentidos do leitor, deixando-o sob o efeito de um tremor perene.

BRUNO SCHULZ (1892-1942) é unanimemente considerado um dos maiores expoentes da ficção literária do século XX, reconhecido também pela mestria dos seus desenhos. Judeu nascido na fértil literária Galícia Oriental, ainda durante o Império Austro-Húngaro, e precocemente morto pela catástrofe nazi, Schulz continua a inspirar vários artistas, desde os escritores Danilo Kis, Cynthia Ozick, Philip Roth, Jonathan Safran Foer, Roberto Bolaño e Salman Rushdie, o encenador Tadeusz Kantor, aos cineastas Quay Brothers.

Distribuição: Antígona


Partilhar esta publicação


← - + →